terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Posturas ou bases do Karatê – Entenda sua Importância.

Se para um bebê o ato de engatinhar é o primeiro passo para ajudá-lo a fortalecer seus músculos e consequentemente depois ser capaz de andar sozinho. No Karatê não é muito diferente precisa-se aperfeiçoa cada base para que fique firme, equilibrada e correta.
Aprender a andar é uma das coisas mais importantes que uma criança faz durante seu estágio de amadurecimento. Cada criança aprende a andar no seu tempo e ritmo certo. A partir daí ela começa a ganhar coordenação motora, força muscular e equilíbrio. Após aprender a ficar de pé, ele precisa agora voltar a sentar é aí que se deve mostrar como dobrar o joelho para conseguir sentar novamente, para isso deve-se incentivar a fazer-lo sozinho.
Bom, para iniciar uma pratica marcial também tem este tipo de processo, mas de forma diferente, é claro.
Para início de conversa, as bases que usamos para treinar na grande maioria é bem mais larga na hora de andar do que quando aprendemos à andar quando éramos pequenos.
Para que uma técnica seja eficaz e eficiente nosso base deve está em total equilíbrio. Somente com uma base firme e estável pode-se defender e atacar de forma rápida e segura.
A parte inferior do corpo deve está firme para sustentar a parte superior do corpo principalmente no instante que uma técnica é executada.  Lembre-se, concentra-se demais na base poderá perder mobilidade e velocidade durante o deslocamento.
Segundo Nakayama, “A capacidade de devolver um ataque em quaisquer circunstâncias depende, em grande parte, da manutenção da forma correta.”
Portanto, para ter uma base bem definida é preciso aperfeiçoa a cada treino, assim chegará ao resultado desejado.

Mais quais são os requisitos para ter uma boa postura?
De acordo com Nakayama, deve-se estar bem equilibrado. Girar o quadril suavemente e usar o máximo de rapidez, durante a execução da técnica. Usar a força de forma suficiente e o controle será facilmente dominado. Os músculos utilizados para a técnica devem mover-se de forma suave, além de trabalharem em harmonia.
Portanto, pés, pernas, quadril, braços e mãos devem trabalhar como um só.  Para que a técnica seja executada de forma correta deve-se utilizar os músculos necessários para aquela técnica, enquanto os outros músculos devem está relaxados.
De acordo com Nakayama, a postura refere-se à parte inferior do corpo e para que as técnicas sejam bem aplicadas deve-se ter uma postura firme e estável.
“Em todas as ocasiões, a parte superior do corpo tem que ser mantida perpendicular ao chão e nivelada com os quadris. As articulações não devem estar tensas demais; não se deve usar mais força do que a necessária na execução de uma técnica e é desejável que a postura seja descontraída.” (Masatoshi Nakayama)

“Aquele que quer aprender a voar um dia precisa primeiro aprender a ficar de pé, caminhar, correr, escalar e dançar; ninguém consegue voar só aprendendo vôo.” (Friedrich Nietzsche)

Vaneisa Lima
Profª de Karate


Referências: M.Nakayama. O melhor do Karate – Visão abrangente-práticas. Vol. 1. São Paulo: Cultrix